Instruções para planador iniciante

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

Vôo Silencioso - Planador para iniciante

 

 

O objetivo deste texto é dar-lhe as orientações mínimas para construir um planador classe 2 metros, que seja barato, fácil de construir, fácil de pilotar e quase inquebrável. Esse é o tipo de planador ideal para quem está iniciando na fascinante modalidade do aeromodelismo com os planadores rádio controlados.

Para realizar esta construção é necessário que você possua conhecimentos básicos sobre aeromodelismo.

Não há planta desse planador. O que temos é apenas um croqui com as medidas básicas. Veja abaixo.

 

Comentários

Comentários no fórum do www.e-voo.com

http://www.e-voo.com/forum/viewtopic.php?t=112142

http://www.e-voo.com/forum/viewtopic.php?t=64613&postdays=&postorder=asc&start=0

http://www.e-voo.com/forum/viewtopic.php?t=35677

 

vídeos

Vídeos deste planador construído por outros aeromodelistas

 

 

 

 

Sugerimos que você leia estas instruções até o final e tenha certeza que entendeu antes de começar os trabalhos.

 

 

 

 

 

 

 Características

Envergadura: 2 metros

Área alar: 0,425 m² (42,5 dm²)

Peso estimado: 500 a 700 gramas (Por se tratar de uma construção artesanal em que variam os materiais utilizados e a habilidade do construtor, não é possível precisão neste dado)

Carga Alar:  11,8 g/dm² a 16,5g/dm² (Expressamos a carga alar em g/dm² pois é a relação mais utilizada pelos fabricantes. Assim você poderá comparar com um modelo conhecido no mercado)

Comprimento: 1 metro

Outras Características:

Asa - A asa é composta de três paineis. Um painel central e dois laterais. Esses paineis laterais serão chamados doravante de "pontas de asa". As áreas são: Painel central de 1m x 0,22m e dois paineis (pontas de asa) de 0,5m com a base maior de 0,22m e a menor de 0,19m

    A corda da asa no painel central é de 0,22m

Perfil do aerofólio da asa:

    Esses dois perfis são encontrados no banco de perfis do Profili 2

    Perfil Original deste projeto: Clark Y

        Este não é um perfil de alta performance, porém, proporcionará ao iniciante um vôo lento e seguro. Ideal para dias de vento com velocidades baixas a médias. O Clark Y não possui grande penetração, assim não é ideal para um dia de ventos fortes. Porém, há fatores que o tornam ideal para quem está começando a construir planadores, vejamos: é mais fácil para ser cortado com a técnica aqui descrita; permite uma construção mas robusta para a estrutura da asa, fato desejável para os vôos de um aeromodelista iniciante.

    Perfil de melhor rendimento. S3021

        Um perfil de melhor rendimento, com mais penetração e que poderá ser utilizado em dias de ventos com velocidades de médias a fortes é o S3021. Este perfil foi testado e mostrou excelentes características de manobrabilidade e velocidade. Não é o recomendado para quem está começando. Deixe para fazer uma asa com esse perfil depois de adquirir bastante prática voando o modelo utilizando o Clark Y.

 

Como já dissemos, o planador que iremos construir terá as características de voar muito bem em dia de ventos fracos a moderados; porém, em dia de vento muito forte ele irá ter dificuldade para avançar, ou seja, o planador vai voar quase parado. Para melhorar a performance nestas condições, você poderá utilizar lastro - a definição de lastro é a adição de massa no ponto onde se localiza o centro de gravidade. Ao adcionar lastro você estará aumentando a carga alar e tornando o planador mais rápido.

 

 

Material

Todo o material utilizado é encontrado facilmente.

 

Aqui está a lista de material que você irá precisar:

  • Rolo de fita adesiva incolor para empacotamento. Durex tipo largo

  • Um tubo de cola tipo #77, marca 3M. Uma cola de contato para isopor

  • Uma pasta escolar feita de um material chamado polionda (pelo menos aqui no Centro-Oeste!)

  • Duas placas de isopor P2 de 5 cm de espessura (Um tipo de isopor mais denso, com a mesma aparência de isopor comum)

  • Tubo plástico

  • Fio de aço

  • Alumínio

 

O Arco de Corte

A fase da construção mais difícil será o corte da asa. Para isso, você terá que ter um arco de fio quente para cortar isopor.Outra opção será pedir a alguém que trabalhe com isso para cortar a asa para você.

 

O arco nada mais é que uma trave de madeira que suporta um fio de aço estendido e ligada a uma fonte de energia. Nas fotos abaixo e no esquema pode-se compreender como é esse dispositivo. AVISO. SE VOCÊ NUNCA TRABALHOU COM UM ARCO DE CORTE SEMELHANTE, TENHA MUITO CUIDADO! PEÇA A AJUDA DE QUEM TEM PRÁTICA COM ESSA FERRAMENTA. HÁ PERIGO DE QUEIMADURAS E CHOQUE ELÉTRICO.

 

 

O arco de corte

 

           

 

 

O arco de corte

           

 

 

A construção

 

Na foto abaixo vê-se as principais peças do planador já prontas para a montagem.

Note na foto abaixo os três painéis da asa, o bloco que forma a fuselagem e os painéis de polinda que formam a empenagem.

 

           

 

 

 

Cortando a asa

A asa é composta de três painéis. Um central com o comprimento de 1 metro e largura uniforme de 0,22 m. Outros dois com o comprimento de 0,5 metro e 0,22 m na raiz e 0,19 m nas pontas. O comprimento total é de 2 metros.

 

Na figura abaixo é possível ver como se faz o corte da asa com o arco de fio quente.

 

A asa é feita de isopor, tendo uma longarina de madeira e coberta com fita adesiva. É necessário utilizar um programa de computador para obter o molde do aerofólio. Em http://www.profili2.com encontra-se um programa de computador com o qual você poderá gerar o perfil. Veja aqui um tutorial de como trabalhar com este sofware para obter o perfil desejado.

 

           

 

O bloco de isopor deve ter as dimensões dos painéis que irão formar a asa. O desenho do perfil do aerofólio é gerado e impresso pelo programa indicado no link acima. Tendo o perfil impresso, você deverá recortá-lo e colá-lo em um material resistente a passagem do fio quente (pode ser alumínio, fórmica ou compensado) para que se possa ter um gabarito para corte do isopor.

Agora, de posse dos gabaritos você deve fixá-los nas laterais do bloco de isopor para que possa ser passado o arco, como na figura acima.

Se você quiser mais detalhes e entender melhor como funciona este método para a obtenção de uma asa de isopor consulte um site de busca na internet, utilizando as palavras chave: wire(arame), foam(isopor, espuma), wing(asa), cutting(cortando).

 

No caso específico do nosso projeto veja abaixo a foto dos painéis da asa já cortados. São três painéis. Um painel que corresponde à parte central da asa, o qual mede 1 metro de comprimento e outros dois painéis medindo 0,5 metro cada, esses últimos correspondem às pontas das asas.

 

           

 

O passo seguinte é cortar os painéis em sentido longitudinal para que a longarina possa ser colada. A longarina pode ser feita de uma madeira leve e resistente, tal como pinho ou freijó. Veja na figura abaixo o painel central de isopor depois de cortado e pronto para receber a seção central da longarina.

 

           

 

Nas fotos seguintes vê-se detalhes da construção da longarina e sua colagem no painel central. Observe que foram feitas quatro peças de compensado para reforçar a longarina na junção dos painéis central e lateral. O ângulo destas peças é o ângulo de diedro da asa que é de 15 graus. O diedro é um ângulo feito entre as duas metades de uma asa ou nas suas pontas e que serve para dar estabilidade lateral durante o vôo.

 

Determinando o angulo de diedro

           

 

 

Depois de determinado o diedro faça quatro peças iguais. Elas irão servir para unir a seção central da longarina com as suas pontas no ângulo de diedro determinado. Estas peças serão coladas uma de cada lado da longarina

           

 

 

 

Uma peça sendo colada

           

 

 

 

Colagem da longarina na seção central da asa

           

 

 

 

Colagem de uma das pontas de asa respeitando o ângulo de diedro

           

 

 

 

Colagem da parte frontal do seção central da asa

           

 

 

 

Toda a colagem das partes da longarina e desta com os painéis de isopor deve ser feito com epóxi. Aqui no Brasil a marca comercial mais conhecida para este tipo de cola é a Araldite

 

 

  • A Fuselagem

A fuselagem é obtida de um bloco de isopor. Pode ser cortada com um estilete fino. Veja o croqui abaixo com as medidas da fuselagem e das partes que compõem a empenagem.

 

 

Croqui - Todas as medidas estão em centimetros.
Clique na figura para ampliá-la.

 image018

           

 

 

 

No croqui acima pode ser vista a lateral esquerda da fuselagem e ali o local para encaixar um dos servos de acionamento das superfícies de controle. Mais precisamente o servo para acionamento do leme. Atente para o fato de que o servo para acionamento do profundor ficará instalado no lado direito da fuselagem (lado que não aparece nesse corqui) e está representado em linhas pontilhadas ao lado do servo do leme. 

Na foto abaixo pode ser visto o processo de abrir os buracos para encaixar o pack de baterias, o receptor do radio controle, os servos e também a passagem para os tubos que irão levar os arames de aço que fazem o controle das superfícies de comando, leme e profundor. Observe as medidas que estão no croqui. Não é necessária muita precisão, porém seja o mais fiel possível a estas medidas.

 

           

 

 

Tudo encaixado

 

           

 

 

Ângulo de Incidência

Veja que na parte da cauda é feito um corte em formato de V horizontal para encaixar o estabilizador. Este corte serve para ajustar o ângulo de incidência da asa. O ângulo de incidência deve ser de 3 graus e é o ângulo entre o plano do estabilizador horizontal e a corda da asa. Se não foi possível entender essa definição de ângulo de incidência, veja a figura seguinte e procure um pouco na internet sobre o tema.

 

           

 

 

A Empenagem

 

O passo seguinte é cortar a pasta escolar de polionda nas medidas especificadas no croqui. O encaixe do conjunto estabilizador vertical e leme é feito na fuselagem. Faça um corte no sentido longitudinal e na profundidade suficiente para encaixar este conjunto. Perceba que deve ser encaixado apenas o estabilizador vertical na fuselagem, para isso ele tem um desenho que já prevê uma aba suficiente para o encaixe. O corte para acomodar este conjunto deve ser feito com muito cuidado para que fique alinhado com o eixo longitudinal da fuselagem. Veja as fotos seguintes:

  

A “dobradiça” que une as partes moveis às partes fixas dos estabilizadores é feita no próprio material, retirando-se um pequeno pedaço da polionda. Se preferir também as partes podem ser totalmente separadas e esta “dobradiça” ser com feita de fita adesiva.

 

 

           

 

 

 

           

 

 

 

           

 

 

           

 

 

 

A Entelagem 

 

Está tudo quase pronto. Agora você deve aplicar o adesivo #77, que é uma cola de contato spray. Aplique a cola em uma das faces da asa ou fuselagem e depois cubra com fita adesiva incolor. Nas duas fotos anteriores, se observar com cuidado, você poderá notar que a fuselagem já se encontra entelada com a fita. A função da cola é permitir que a fita adesiva não descole do isopor e também que fique bem esticada. Desta forma teremos uma camada de fita bem firme que dá resistência às peças de isopor. Depois de passada a fita você irá notar um aumento considerável da resistência destas peças a torção e flexão. Procure aplicar a fita de maneira a ficar bem esticada. Na colagem da fita, deverá ter uma pequena sobreposição das faixas, coisa de 0,5cm, de forma que no final se tenha uma tela única de fita sobre a peça. Explicando melhor: suponha que você tenha dois pedaços de fita adesiva de 40 cm cada. Cole o primeiro pedaço sobre uma peça qualquer. Quando for aplicar o segundo pedaço, no mesmo sentido do primeiro, permita que o segundo fique por cima do primeiro 0,5 cm ao longo de toda sua extensão.

 

Links 

Veja na foto abaixo um detalhe da cauda do modelo depois de tudo pronto. Veja que o arame de aço, que transmite o movimento dos servos às superfícies de controle, foi passado por dentro do tubo vermelho. Note uma pequena peça de alumínio aparafusada na superfície de controle que tem a função de receber o arame de aço. Uma fita adesiva tipo Silver Tape faz a fixação do estabilizador horizontal.

 

           

 

Veja na foto abaixo que foi colocada uma peça de madeira balsa para proteger o bordo de fuga da asa contra a pressão dos elásticos que fixam a asa à fuselagem.

 

           

 

Note também que as peças de madeira coladas nas laterais da fuselagem servem para passar as hastes de prendem os elásticos. Estas peças estão especificadas no croqui.

 

Aqui está o modelo pronto.

            

 

 

Ajustes Finais

Agora você deve determinar o centro de gravidade do modelo. Este deve estar situando no primeiro 1/3 da corda da asa (largura da asa) tomando-se o bordo de ataque como ponto zero ou de referencia. Para ajustar o centro de gravidade neste local, adicione peso no parte da frente da fuselagem, no nariz do modelo. Use pequenos pedaços de chumbo para isso. Faça uma abertura no isopor o mais na frente possível. Vá colocando o chumbo nesta abertura. Para conferir onde se encontra o centro de gravidade, segure o modelo com os dedos indicadores por baixo da asa. Vá adicionando peso até o modelo se equilibrar neste ponto (1/3 da corda a partir do bordo de ataque).

Teste o planeio do modelo antes de lançá-lo em vôo. Escolha um local plano, sem obstáculos e faça lançamentos a um alvo imaginário a uns 20 metros a sua frente. Não faça o lançamento para cima, nem para baixo. Lance o modelo em um plano reto que se estende à sua frente. O modelo deve planar. Se subir e cair abruptamente, é sinal de que pode está com um ângulo de incidência exageradamente grande ou com pouco peso no nariz (Centro de gravidade atrasado, a mais de 1/3 do bordo de ataque). Caso contrario, se o modelo não conseguir planeio, o ângulo de incidência poderá estar pequeno ou a quantidade de peso no

nariz poderá estar demasiada. Faça o ajuste de cada variável por vez, ou seja, mude somente a incidência sem alterar o peso e vice-versa.

Este modelo voa muito bem. Testamos em vôo de encosta e no terreno plano com a ajuda de um pequeno motor para subir. Em todas as duas situações se mostrou um ótimo modelo para um iniciante.

 

Atualização: por Alessandro Santos em 04/04/2012

Veja outras fotos e vídeos de construções, com customizações, seguindo esse mesmo tutorial.

imagem 033imagem 035img 0014img 0087img 0100img 0153img 0171img 0187img 0262img 0278img 0280img 0231

 

 

 

 

Comentários   

0 #2 ROGERIO FURLANETTO 14-07-2014 12:50
gostaria de saber das medidas do bico do nariz do planador até a asa, do final da asa até o começo do profundor , medidas do estabilizador trazeiro e profundor e do leme completo para um planadodor com 1;60 de envergadura, 0;20 de corda da asa e 0;80 de comprimento, com motor elétrico no nariz
Citar
0 #1 ROGERIO FURLANETTO 08-07-2014 10:25
no meu computador , falta muita coisa escrita,e medidas do lado direito da pagina. vou fazer um desses com corpo de vara de pesca e motor eletrico
Abraços
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Informações Adicionais